Passo de Camaragibe (turismo)

Distante 89 Km de Maceió,  tem uma população de aproximadamente 14 mil habitantes, é cidade natal de Aurélio Buarque de Holanda.
Nas margens do rio Camaragibe começou o povoado de Passo, ponto em que o rio oferecia mais facilidade na passagem dos que vinham de Pernambuco para Alagoas, sendo ponto de apoio para os navios holandeses, daí a origem do nome, que passou a ser cidade em 1880 e fez  parte dos acontecimentos históricos devido à invasão holandesa.
Pousadas e Hotéis fazendas fazem parte da paisagem desse município que tem no cultivo do Coco da Bahia, cana-de-açúcar, pesca e pecuária suas principais atividades econômicas. O Coco de Roda e Samba Matuto são os representantes da cultura popular.
Os visitantes se encantam com a riqueza do potencial natural: rios, lagoas e manguezais com uma topografia dinâmica contendo  morros e penhascos, além de um mar exuberante de recifes e corais, as praias de Barra de Camaragibe, Marceneiro e dos Morros são eleitas como as mais belas.
Foto: Brasil Real

Retratos da escolha no Brasil (II)

Na política brasileira, optar pelo novo é semelhante a optar pelo velho. Há casos como o do ex-jogador da seleção, Romário que, desempenhando o cargo de senador, foi acusado de corrupção.
Já Francisco Everardo Oliveira Silva (Tiririca) destacou-se pela assiduidade nas sessões. Compareceu a todas as 279 sessões deliberativas em plenário na atual legislatura. Mas em seu primeiro mandato teve apenas uma única proposta de sua relatoria que se tornou lei, a que dá o título de “Capital Nacional do Antigomobilismo” ao município de Caçapava (SP).
Por sua vez, o cantor Sergio Reis foi o deputado que mais recebeu emendas parlamentares no ano de 2017. Foram R$ 8.406.533,39 para beneficiar seu eleitorado de São Paulo. 
Celso Russomanno (PRB-SP) é outro campeão em verbas parlamentares, conseguiu mais de 7 milhões. Entre 1994 e 2011, ele cumpriu quatro mandatos consecutivos.
Em um claro sinal de que desejam um futuro diferente, os brasileiros renovaram o Congresso elegendo muita gente nova e deixando de fora velhas raposas.
Mas nem isso assegura que haverá lisura nas atitudes de deputados e senadores. Seria necessário o acompanhamento desses congressistas, a fim de se certificar de que não cairão na quase irresistível promiscuidade da troca de favores. 
No futuro governo será necessário muito jogo de cintura para ter governabilidade e aprovar mudanças. Para ter sucesso não depende só de fazer boas escolhas para os ministérios, nem empenhar confiança exacerbada nos generais e, muito menos, considerar-se moralmente superior aos demais. As reformas não ocorrerão por conta disso, mas por agregar maioria; e essa mesma maioria trará muita gente de moral fragilizada.  
Sabe-se que congressistas agem em favor do governo com contrapartida lícita ou ilícita e por conveniência. Portanto, faz-se necessária a prática de um mandato mais aberto, a fim de dar conhecimento ao público sobre as causas de interesse coletivo.
O sonho do brasileiro é que não só tenha fim a política do toma lá, dá cá, mas também a costumeira prática dos políticos de, antes da eleição, apresentar a solução para todas as causas e, quando eleitos, passar a fazer parte de uma classe privilegiada, cujo habitat é uma bolha capaz de trazer-lhes uma amnésia contagiante, onde ninguém mais sabe como solucionar os problemas da sociedade.

Retratos da escolha no Brasil (I)

A política brasileira está repleta de nomes cuja herança do poder ultrapassa um século de existência. Patriarca, filho, neto, bisneto vêm sendo os donos de um cargo eletivo, concedido democraticamente por pessoas que se dizem cansadas e decepcionadas com os políticos.
Mesmo mandatários que conquistaram o poder com o discurso anti regime militar, hoje se tornaram tradicionais e têm status paternalista. Os novíssimos artistas, intelectuais e líderes sociais ou religiosos não escapam à regra do paternalismo e o ciclo vicioso nem dá sinais de chegar ao fim.
O que há de mais original na política é o voto em troca de interesse. Ainda quando não há a compra direta do voto, há o favorecimento por outras vias. Estamos longe de comemorar as escolhas espontâneas.
Nem mesmo o fato de o Brasil ser um país diverso, faz com que deixe de ser homogêneo em suas escolhas. Em toda parte é possível identificar uma maioria amante do conformismo, do conservadorismo e da precipitação. Por isso, há regras de escolha, no mínimo medíocres, para dar preferência a pessoas sem talento para a política.
Em muitos casos, a escolha dá-se através de critérios que privilegiam, por exemplo, o sujeito que desempenha sua tarefa como servidor público da saúde e que, por isso, recebe a recompensa com votos. Há os que jogam bom futebol. Para com esses, o povo imagina ter dívida semelhante. Artistas não ficam de fora; são recompensados por ofertar alegria ao seu público. 
Também os religiosos apoiam-se em currais eleitorais e os famosos pegam carona no sucesso. E há até os que, por tabela, beneficiam-se da fama alheia, caso de Túlio Gadêlha, namorado de Fátima Bernardes. Mas há outros nomes na lista da fama: Tiririca, Sérgio Reis, Celso Russomanno.

Frase

A sabedoria consiste em compreender que o tempo dedicado ao trabalho nunca é perdido. - Ralph Emerson

Queremos farpas ou governança?

Parece que ainda estamos em plena campanha. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) trocaram farpas pelo Twitter por causa de uma reportagem do portal noticioso alemão Deutsche Welle.
Primeiro Haddad compartilhou o link de um texto, publicado em 28 de novembro passado, intitulado “Brasil, um país do passado”, com críticas fortes a Bolsonaro e às ideias de seus seguidores - entre outras coisas, apontava que “no Brasil, está na moda um anti-intelectualismo que lembra a Inquisição”.
Depois Bolsonaro retrucou, também em um post no Twitter, chamando Haddad de “fantoche do presidiário corrupto” e “marmita”. “A verdade é que o marmita, como todo petista, fica inventando motivos para a derrota vergonhosa que sofreram nas eleições, mesmo com campanha mais de 30 milhões mais cara”, escreveu.
Essa guerrilha apenas alimenta a sanha das militâncias, coisa que o País não precisa. Cabe cobrar governança.
Foto: Infomoney

Turismo (Barra de Santo Antônio)

Barra de Santo Antônio fica a 45 km de Maceió, sua população é de aproximadamente 15 mil habitantes.
O município, às margens do Rio Santo Antônio, que deu  origem ao nome da cidade,  se divide entre a simplicidade da vida dos  seus nativos e a grandiosidade de alguns monumentos históricos da arquitetura holandesa do século 18.
A maior riqueza do município é o patrimônio natural, possui um grande rio margeado por maguezais, belas praias como Tabuba, Carro Quebrado e a  Ilha da Croa.
Fora os atrativos naturais, Barra de Santo Antônio possui infra-estrutura para receber  seu visitante.
Foto: Divulgação

“Humor”

O atual “humor” brasileiro nutre-se de piadas falsas e de hipocrisia. E assim o é, simplesmente porque aqueles que se propõem atuar nesta seara, sequer têm talento para fazer rir sem descambar para as mediocridades da natureza humana.
Não vale dizer que essa fraqueza reflete as mudanças dos novos tempos. Muito menos que submeter valores à visão depravada dos “humoristas” é a pedida do momento.
Por incrível que possa parecer, o insulto à inteligência dos brasileiros não apenas passa despercebido, como é aplaudido por uma plateia incapaz de reagir contra o desrespeito à dignidade humana.
O que pode haver de tão engraçado se arriscar em provas de resistência ou mostrar a nudez? Educativo não é. Conclusão: o humor perdeu o rumo.
Para reforçar, a televisão, cujo intuito é neutralizar a capacidade de pensar, exibe um “humor” em que pessoas são levadas a rir da própria desgraça. Há algo mais patético?
Nesse arrumadinho, gente sem talento ou brilho é elevada aos holofotes. No vale tudo, sobressaem-se a baixaria, a nudez e a banalização do mal e da moral. Dessa forma, cativa-se um público fã dos delírios e bestialidades de “famosos” depravados.
Além da repetição por falta de criatividade, os produtores de “humor” sucumbiram à insanidade mental. Desliguem a TV e esqueçam os vídeos do Youtube com esse tipo de conteúdo.

Sivaldo Venerando. Tecnologia do Blogger.